Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Vale corta produção no Canadá

Um dia após confirmar a demissão de 1,3 mil trabalhadores, a mineradora Vale anunciou um novo corte em sua produção. No alvo estão minas de níquel e cobre no Canadá.

Agência Estado |

A mina de Copper Cliff South, produtora de níquel, será fechada por tempo indeterminado, enquanto as operações de Voiseys Bay serão paralisadas apenas durante o mês de julho de 2009.

O primeiro ajuste feito pela mineradora brasileira para se adaptar ao novo cenário de desaceleração da economia mundial foi anunciado no final de outubro. Na época, a empresa reduziu atividades de níquel na Indonésia e cortou em 30 milhões de toneladas sua produção de minério de ferro no Brasil. Mas, diante do agravamento do quadro de recessão mundial, muitos analistas já previam a necessidade de novos cortes na produção da companhia.

A preocupação da Vale em reduzir a oferta de níquel se justifica pela forte queda nas cotações do metal nos últimos meses. Depois de passar dos US$ 50 mil por tonelada no ano passado, o níquel está cotado a cerca de US$ 9 mil por tonelada, valor próximo aos custos de produção.

Segundo o analista do Standard Bank, Luiz Manreza, os preços baixos são um reflexo da fuga dos investidores de contratos de commodities metálicas, mais arriscados. "Os fundamentos de oferta e demanda não justificam preços tão reduzidos", disse. Ele acredita que os cortes de produção anunciados pelas mineradoras devem ajudar a conter essa retração nos preços.

A mina de Copper Cliff South produz anualmente 8 mil toneladas métricas de níquel. Já as operações de Voiseys Bay, que compreendem a mina de Ovoid e uma planta de processamento, produziram nos nove primeiros meses do ano 58 mil toneladas de níquel e 39 mil toneladas de cobre em concentrado.

Pelos cálculos feitos pela Corretora Geração Futuro, os cortes anunciados ontem pela Vale no Canadá devem reduzir em cerca de 5% a produção anual de níquel do grupo. O trabalho leva em conta uma parada de Copper Cliff por um ano. Já levando em conta os cortes de 20% anunciados pela companhia na Indonésia em outubro, o ajuste na produção de níquel do grupo será de 11%, passando dos atuais 270 mil toneladas para 238,5 mil toneladas.

Apesar dos cortes, o analista da Geração Futuro, Carlos Kochenborger, lembra que estão previstas para 2009 a entrada em operação de novos projetos de níquel da empresa, Goro e Onça Puma, com capacidade de 60 mil toneladas e 58 mil toneladas, respectivamente. "Por essa razão, não é possível estimar em quanto a oferta por parte da Vale ao mercado seria reduzida no próximo ano", disse. Já a Banif Corretora acredita que o ajuste no segmento deve ser ainda mais intenso no ano que vem. A previsão é de que a Vale corte em 25% sua produção.

A mineradora informou ontem ainda que decidiu postergar o início do desenvolvimento do projeto Copper Cliff Deep por um período de 12 meses. O projeto previa investimentos de US$ 814 milhões, dos quais US$ 138 milhões já constavam do orçamento de 2009.

A companhia também lançou um programa de aposentadoria voluntária na sua subsidiária integral Vale Inco, em linha com as iniciativas tomadas pela empresa no Brasil. Na quarta-feira, a mineradora brasileira confirmou a demissão de 1,3 mil funcionários e a concessão de férias coletivas para 5,5 mil trabalhadores. "Tendo em vista as incertezas existentes no cenário econômico global, a Vale diz que mantém a opção de administrar seu ritmo de produção de acordo com as condições de mercado", diz o comunicado da empresa.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG