SÃO PAULO - A Vale do Rio Doce anunciou nesta terça-feira a conclusão de sua oferta primária de ações que resultou na captação de R$ 19,43 bilhões, maior distribuição já realizada na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Os coordenadores da oferta colocaram integralmente o lote suplementar de ações preferências classe A para atender ao excesso de demanda.

De acordo com comunicado enviado pela companhia, foram emitidas, ao todo, 256.926.766 ações ordinárias e de 189.063.218 ações preferenciais classe A.

No âmbito da oferta internacional, os coordenadores venderam 63.506.751 ações PNA, o que representa cerca de 34% do total de ativos dessa classe, e outras 80.079.223 ações ON, ou 31% do total de ações ordinárias.

Esses ativos foram emitidos sob a forma de forma de American Depositary Shares (ADSs), representadas por American Depositary Receipts (ADR, instrumento que permite que empresas estrangeiras sejam negociadas em Nova York).

O preço de emissão foi de R$ 39,90 por ativo PNA e R$ 46,28 por ação ON. Em dólares, tais valores representaram US$ 25 por ADS PNA e US$ 29 por ADS ON. Na moeda comum européia, os valores são de 15,74 euros para o ativo PNA e 18,25 euros para o ON.

A idéia inicial da mineradora era levantar até US$ 15 bilhões para financiar seu projeto de expansão. No entanto, a turbulência nos mercados internacionais e surgimento de dúvidas quanto ao preço das commodities prejudicaram o processo. Rumores de que a companhia utilizaria os recursos levantados em uma grande aquisição internacional também prejudicaram as ações, que saíram precificadas com um desconto maior do que o esperado pelos agentes de mercado.

As novas ações de emissão da Vale começaram a ser negociados em 18 de julho. Nesta quinta, o papel PNA encerrou negociado a R$ 36,04, alta de 0,95%, enquanto o ON valia R$ 41,63, valorização de 1,06%, sobre o fechamento de segunda-feira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.