Tamanho do texto

A mineradora anglo-australiana anunciou a venda, para a Vale do Rio Doce, da mina de minério de ferro Corumbá, no Mato Grosso do Sul, e de uma mina de potássio na Argentina, por US$ 1,6 bilhão. A Vale pagará US$ 850 milhões pelo projeto Potasio Rio Colorado, localizado na fronteira entre as províncias argentinas de Mendoza e Neuquen, e US$ 750 milhões pela mina Corumbá e operações logísticas fluviais associadas, no Paraguai.

A Vale, maior produtora mundial de minério de ferro, é a mais bem posicionada para extrair sinergias da mina Corumbá. A mina produz cerca de 2 milhões de toneladas de minério de ferro por ano, mas a mineradora brasileira pretende aumentar esse volume significativamente.

No início do ano, a Rio Tinto suspendeu um projeto de US$ 2,15 bilhões para expandir a produção de Corumbá para cerca de 12,8 milhões de toneladas por ano. Também havia estudos para uma expansão posterior, que elevaria a produção para 23,2 milhões de toneladas.

As ações da Rio Tinto reagiram positivamente à notícia da venda, fechando com alta de 3,5% na Bolsa de Sidney. O índice S&P/ASX da Bolsa encerrou em alta de 0,4%.

O diretor-financeiro da Rio Tinto, Guy Elliott, disse que a venda representa mais um passo em direção ao compromisso da companhia, de reduzir sua dívida em US$ 10 bilhões neste ano. A operação dá ao mercado a esperança de que ainda existam compradores no exterior para os ativos que a companhia pretende vender, mas não elimina totalmente a preocupação de que ela seja obrigada a diluir o valor de suas ações com uma oferta destinada a levantar recursos para diminuir o endividamento. As informações são da Dow Jones.