Tamanho do texto

Diante da expectativa de que o mercado de minério de ferro e metais seguirá aquecido nos próximos anos, a Vale apresentará daqui a dois meses seu novo plano estratégico de crescimento, com mais de dez projetos adicionais ao original, que previa investimentos de US$ 59 bilhões para o período entre 2008 e 2012. Com isso, esse valor será substancialmente maior.

Além de expandir as atividades de minério de ferro e níquel, equivalentes a mais de 70% da sua receita, a empresa dará atenção especial aos setores de cobre e carvão. O diretor Executivo de Finanças e de Relações com Investidores da Vale, Fábio Barbosa, afirmou que a compra de empresas faz parte dos planos da mineradora, como um complemento dos investimentos. "Sempre usamos aquisições como parte do processo de crescimento da empresa", afirma.

Pela primeira vez, a Vale admitiu que os alvos de compras são ativos de cobre e carvão, como o mercado vinha especulando. Até, então, falava-se apenas que os investimentos orgânicos - sem incluir aquisições - seriam concentrados nessas áreas. Juntos, os dois setores representaram cerca de 6% do faturamento da mineradora no segundo trimestre. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.