Apesar do cenário turbulento, a Usiminas tem insistido em dizer que não há nenhuma revisão do plano de investimentos de US$ 14 bilhões até 2015. Esse plano prevê a ampliação da capacidade de produção anual de aço do grupo em 5,3 milhões de toneladas, com a construção de uma nova usina em Santana do Paraíso (MG), e também o aumento da capacidade de laminação em 3 milhões de toneladas - além de um conjunto de obras para a redução de custos até 2012.

O diretor de finanças e relações com investidores da Usiminas, Paulo Penido Pinto Marques, disse, porém, na sexta-feira, que a velocidade de implantação desse plano pode ser adaptada de acordo com o mercado. "Esse plano talvez tenha sua velocidade gerenciada de forma a não ter excesso de suprimento de produtos, no momento em que o mercado não esteja demandando."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.