São Paulo, 20 - Relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) manteve inalterada a projeção para a produção brasileira de café na safra 2008/09 (julho/08 a junho/09) em 51,1 milhões de sacas de 60 kg, o que representa aumento de 36% em relação à safra anterior. Desse total, 38,5 milhões de sacas são de arábica e 12,6 milhões de sacas de robusta.

Em setembro, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), responsável pela estimativa oficial do governo, projetou a safra 2008/09 em 45,85 milhões de sacas. Conforme o USDA, ainda não há previsão sobre a próxima safra 2009/10, pois as lavouras ainda estão em fase de florada. No entanto, a expectativa é de redução na produção, por causa do ciclo bienal do arábica.

No relatório, o USDA informa que o custo de produção em Guaxupé, no sul de Minas, uma das principais regiões produtoras do País, teve crescimento de 75% de 2006 para 2008. O desembolso dos produtores cresceu no período, principalmente, nos itens referentes à mão-de-obra (72%) e fertilizantes (120%).

O USDA estima, ainda, que o consumo doméstico de café no Brasil em 2008/09 deve alcançar 18 milhões de sacas. A exportação deve totalizar 28 milhões de sacas, representando elevação de 3% na comparação com previsão anterior, por causa da expectativa de maior disponibilidade do produto.

O volume dos estoques, no fim do período 2008/09, está estimado em 6,3 milhões de sacas, com aumento de 5,1 milhões de sacas em relação a 2007/08. A Conab projetou o estoque privado em 10,365 milhões de sacas no dia 31 de março passado, o que representa queda de 7,2 milhões de sacas ante o volume de 17,58 milhões de sacas em 31 de março de 2007.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.