Bogotá, 6 ago (EFE).- O presidente colombiano, Álvaro Uribe, sancionou hoje duas novas leis trabalhistas por meio das quais os juízes determinarão a ilegalidade de uma greve e outra de restrições a cooperativas de trabalho associado.

"O país tem hoje uma legislação trabalhista equilibrada. Diria que equilibrada, porque é uma legislação garantista, por exemplo, de estabilidade para os trabalhadores, e que também dá um bom marco de flexibilidade aos empregadores", disse o presidente.

Uribe disse que com a nova lei só os juízes "podem qualificar a legalidade ou ilegalidade de uma greve", faculdade que antes tinha o Governo.

Ele acrescentou que essa decisão era um requerimento da Organização Internacional do Trabalho (OIT), ao indicar que "o que proíbe o convênio da OIT é que o Governo seja juiz e parte".

A nova lei determina que em um máximo de dez dias a justiça deve se pronunciar sobre a legalidade ou ilegalidade de uma greve.

Sobre os benefícios da nova lei de cooperativas, o chefe de Estado explicou que não as cooperativas de trabalho associado não serão eliminadas, mas sim restritas. EFE fer/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.