Ribeirão Preto, 14 - As 298 usinas de açúcar e de álcool do Centro-Sul do Brasil moeram um recorde de 496,71 milhões de toneladas de cana até 31 de dezembro de 2008, alta de 15,47% sobre as 430,11 milhões de toneladas de igual período de 2007, de acordo com levantamento divulgado hoje pela União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica). Segundo a entidade, a disponibilidade de matéria-prima e as condições climáticas favoráveis à colheita permitiram um processamento de 28,05 milhões de toneladas em dezembro - 21,46 milhões na primeira quinzena e 6,59 milhões na segunda quinzena - um total também inédito na região brasileira que normalmente já está no período de entressafra da cultura em virtude das chuvas.

O total processado na safra 2008/2009 supera em quase 10 milhões de toneladas a última previsão de moagem da Unica para o período, realizada em setembro, que era de 487 milhões de toneladas. Os números, no entanto, chegam perto das 498 milhões de toneladas previstas para ser moídas pela estimativa divulgada ainda no início da safra. Como ainda 40 unidades sucroalcooleiras ainda processavam cana no início de janeiro é provável que os números finais da atual safra atinjam 500 milhões de toneladas processadas na região.

O Estado de São Paulo respondeu por 69% do total da cana esmagada no Centro-Sul, com um volume até 31 de dezembro, com 341,8 milhões de toneladas. O maior incremento na moagem em relação à safra anterior, segundo a Unica, foi em Goiás, com 40% de aumento, em função do início da operação de dez novas unidades produtoras. As 30 novas unidades produtoras que começaram a moagem nesta safra esmagaram, até 31 de dezembro, 16,6 milhões de toneladas, respondendo por 3,4% do total da cana processada no Centro-Sul. Mesmo com a recuperação no atraso do processamento em dezembro, mais de 30 milhões de t deixarão de ser colhidas em 2008/2009.

Segundo a Unica, as condições climáticas também foram favoráveis ao desenvolvimento vegetativo da cana na safra, proporcionando uma alta na produtividade agrícola de 4,3% em relação à anterior. Por outro lado, houve a quantidade de 141,27 quilos de açúcares totais recuperáveis (ATR) obtidos por tonelada de cana esmagada é inferior ao acumulado na safra anterior em 2,39%. O crescimento na moagem de 15,47% e a redução na quantidade de produtos resultaram num crescimento total de produção de açúcar e de etanol na safra em 12,72%, para 70,17 milhões de toneladas, ante 62,25 milhões de t na passada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.