Sertãozinho, SP, 02 - A usinas de açúcar e álcool do Centro-Sul do Brasil teriam mais de 500 milhões de toneladas de cana para moer na safra 2008/2009, mas conseguirão processar apenas 487,5 milhões de toneladas, de acordo com a previsão divulgada hoje pela União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica). O atraso de 60 a 90 dias no início do processamento de 11 das 32 novas unidades previstas para entrarem em operação em 2008, além do clima mais chuvoso nesta safra são apontados pela Unica como os fatores que frearam a moagem.

Outras três unidades sequer irão iniciar a safra este ano.

De acordo com o diretor-técnico da Unica, Antonio Pádua Rodrigues, as 11 novas unidades que devem começar a moer em setembro devem agregar 12 milhões de toneladas de cana até o final da safra 2008/2009, em março do próximo ano. Mas isso "se as condições climáticas favorecerem e se as usinas não atrasarem mais dos que os 60 a 90 dias que já atrasaram em virtude do atraso na entrega dos equipamentos pelas indústrias de base", disse Rodrigues. Recentemente, a indústria de base informou que alguns atrasos no fornecimento de equipamentos às usinas ocorreram por falta de pagamento por parte delas.

Já em relação ao clima, com as chuvas recentes prejudicando a colheita, as usinas com maior mecanização na colheita foram as mais prejudicadas, segundo com Rodrigues. "Em muitas usinas, principalmente as que possuem um contingente altíssimo de colheita mecanizada, as máquinas não colhem cana no período noturno por conta das chuvas e da alta umidade", afirmou. "Além disso, as unidades recebem muita cana com palha e impurezas, o que aumenta as paradas por quebra", completou Rodrigues.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.