Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Unibanco melhora projeção para carteira de crédito em 2008

SÃO PAULO - Assim como ocorreu nos três primeiros meses deste ano, o Unibanco viu no segundo trimestre um desempenho acima do esperado em suas carteiras de crédito voltadas a grandes empresas e ao financiamento de veículos. Por esse motivo, o banco decidiu fixar na ponta mais alta a sua estimativa para expansão do crédito em 2008, que passou de um intervalo de 20% a 25% para 25% cravados.

Valor Online |

Assim como fizeram Bradesco e Itaú, o vice-presidente corporativo do Unibanco, Geraldo Travaglia, confirmou que a demanda das grandes empresas por crédito bancário doméstico cresceu diante da crise financeira internacional, que encareceu a captação de recursos no exterior. Como têm projetos de expansão em andamento, essas companhias optaram pelos bancos locais para não terem de adiar seus planos.

Diante desse cenário, o Unibanco elevou para até 20% a sua projeção de expansão para os empréstimos às grandes companhias, ante intervalo de 10% a 15% estimado anteriormente.

Além disso, o bom momento vivido pela indústria automobilística nacional está refletido na carteira de financiamento de veículos do Unibanco, que avançou 86,9% em relação ao segundo trimestre de 2007, para um saldo de R$ 10,76 bilhões registrado em 30 de junho último. Para esse setor, a projeção do banco para 2008 é de uma expansão de 45% sobre 2007.

Travaglia disse ainda que o aperto monetário iniciado em abril pelo Banco Central (BC) ainda não teve efeito sobre a carteira de crédito do Unibanco, tanto na expansão dos empréstimos quanto na inadimplência. Disse, no entanto, que o banco vem trabalhando no sentido de evitar uma contaminação da carteira, em especial no segmento de veículos, que mostra maior expansão.

A estratégia, segundo ele, é priorizar o financiamento de automóveis zero quilômetro comercializados em concessionárias, evitando as lojas multimarcas localizadas nas periferias dos grandes centros urbanos.

O Unibanco está alinhado ao bloco mais conservador das instituições nacionais quando se fala em projeção para a taxa de juros. Diferente da maioria, o banco acredita que a Selic continuará subindo durante todo o ano de 2009, chegando a dezembro do ano que vem em 15,25% ao ano.

(Murillo Camarotto | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG