bancos podres - Home - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

União Europeia rejeita assumir bancos podres

BRUXELAS - Um documento sigiloso da Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia (UE), revela que a tentativa de criar bancos podres em toda a Europa poderia aprofundar a recessão e ameaçar a sobrevivência da união monetária. Na quarta-feira, a Comissão anunciou a convocação de uma cúpula, para 1º de março, de governos dos 27 países do bloco, divididos sobre como enfrentar a crise. Enquanto isso, o Reino Unido anuncia que está em recessão profunda e teme que o Produto Interno Bruto (PIB) encolha até 6%, no pior dos cenários.

Agência Estado |

O temor da Comissão é que um novo pacote de socorro dos bancos possa levar alguns países do bloco a se endividar a ponto de não poderem pagar as dívidas no curto prazo. A preocupação é sobretudo com Espanha, Grécia, Irlanda, Portugal e Itália. "As estimativas de perdas e os cálculos dos orçamentos sugerem que um plano (de compra de "ativos tóxicos") seria muito grande tanto em termos absolutos como em relação ao PIB dos países", diz o documento.

Os europeus não conseguem definir o que fazer com a "parte podre" dos bancos. A sua compra pelos governos é vista como ameaça, já que exigiria empréstimos que não teriam como pagar. A vítima, nesse caso, seria a sobrevivência da moeda única, o euro.

"As limitações orçamentárias de alguns Estados membros é evidente", afirma a Comissão. Para ela, a compra de ações tóxicas por governos já deixou de ser uma opção em alguns países, em razão do tamanho do prejuízo na comparação com o PIB e diante do volume do orçamento nacional. Os bancos europeus teriam recursos estimados em 41 trilhões.

Leia tudo sobre: europa

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG