Tamanho do texto

Rio de Janeiro, 12 dez (EFE).- Cerca de um terço dos 5.

564 municípios do país tem favelas, palafitas ou outro tipo de casas inadequadas, segundo um estudo divulgado hoje pelo IBGE.

Os dados aparecem no estudo de Informações Básicas Municipais, que o organismo realizou no primeiro semestre deste ano e que abrange todos os municípios do país.

Segundo a pesquisa, além dos bairros sem infra-estrutura mínima em 1.837 municípios, cerca da metade das cidades brasileiras (2.960) registra problemas pela venda irregular de lotes ou pela ocupação clandestina.

A presença de favelas chega a ser de 41% nos municípios do norte e sul, porcentagem que cai para 32,7% no nordeste e para 29,7% no sudeste.

Das cidades com problemas por lotes irregulares ou clandestinos, a maior parte (984) está na região sudeste, que concentra as cidades mais populosas e a mais rica do país.

Entrevistados pelo IBGE, 90,6% dos prefeitos dos municípios disseram terem precisado fazer frente a alguma alteração ambiental "freqüente e impactante" nos últimos dois anos.

Entre os mais citados figuram os incêndios florestais, registrados em 3.018 municípios (54,2%); o desmatamento (53,5%) e a seca (53%).

As Prefeituras de 2.079 municípios (37,4%) contam com recursos próprios para atender problemas do meio ambiente.

A disponibilidade de recursos para o meio ambiente cresce segundo a população das cidades.

Assim, 29,6% dos municípios com até cinco mil habitantes reservam recursos para o meio ambiente, enquanto a percentagem chega a 97,3% entre os de mais de 500 mil moradores. EFE cm/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.