Sacudida pela desconfiança dos mercados financeiros sobre a solidez do euro, a União Europeia estuda agora a criação de um fundo de socorro aos países do bloco que atravessem dificuldades econômicas, à imagem do que faz o Fundo Monetário Internacional (FMI). O rumor já circulava nas principais capitais europeias desde o início da crise na Grécia, mas ganhou corpo nas últimas semanas.

O projeto faz parte da "Estratégia Econômica da União Europeia para os próximos dez anos", um programa apresentado ontem, em Bruxelas. Ontem, o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, confirmou que as negociações estão em curso entre os parceiros europeus.

"Nós trabalhamos na questão", afirmou. "Nós faremos o anúncio assim que tenhamos tomado uma decisão." Outra medida anunciada ontem, dessa vez em Berlim, foi a disposição do governo alemão de criar uma legislação para punir crimes financeiros, "protegendo os investidores das manipulações do mercado".

O anúncio foi feito pelo ministro das Finanças, Wolfgang Schäuble.

O projeto deve prever a proibição de vendas de ações "a descoberto" não seguradas, aumento da transparência sobre os produtos financeiros e sanções contra as instituições financeiras em caso de má conduta administrativa. A versão final da proposta deve ser apresentada em abril.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.