Tamanho do texto

A Comissão Europeia está investigando o uso pelo governo grego de complexas operações de swap, disse nesta terça-feira o comissário europeu para Assuntos Econômicos e Monetários, Olli Rehn. Reportagens recentes sugeriram que o país utilizou swaps e outros instrumentos para reduzir o tamanho de sua dívida em seus balanços.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237561112349&_c_=MiGComponente_C

Na última década, a Grécia repetidamente registrou déficits menores que os verdadeiros, o que ajudou a levar o país para a atual crise da dívida, segundo essas notícias.

"Nós lançamos uma investigação sobre esse assunto", confirmou Rehn durante entrevista coletiva, após uma reunião mensal dos ministros de Finanças da União Europeia. Rehn disse que não há sinais de que outros países do bloco europeu tenham usado essas técnicas, mas ele afirmou que a Comissão Europeia, o braço executivo da UE, investiga o tema.

O braço estatístico da comissão, o Eurostat, pediu no último fim de semana à Grécia mais informações sobre qualquer manobra financeira afetando as finanças do governo. O país tem até esta sexta-feira para responder, segundo Rehn.

Uma reportagem publicada no fim de semana pelo The New York Times afirmou que o governo grego fechou acordos de derivativos com o Goldman Sachs, permitindo que dados sobre sua dívida pública fossem camuflados.

O banco receberia o dinheiro de volta por meio do controle da renda da loteria no país e de taxas aeroportuárias, segundo o jornal norte-americano. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.