Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

UE fará 'o que for necessário' para salvar o euro

A ministra de Finanças da Espanha, Elena Salgado, disse hoje, em reunião com seus pares da União Europeia (UE), que o bloco fará "o que for necessário" para defender o euro. Nas últimas semanas, a moeda despencou em relação ao dólar, em meio a preocupações com a delicada situação fiscal da Grécia.

AE |

A ministra de Finanças da Espanha, Elena Salgado, disse hoje, em reunião com seus pares da União Europeia (UE), que o bloco fará "o que for necessário" para defender o euro. Nas últimas semanas, a moeda despencou em relação ao dólar, em meio a preocupações com a delicada situação fiscal da Grécia.

 

AFP
As ministras de finanças da Espanha, Elena Salgado (direita), e da França, Christine Lagarde, em reunião em Bruxelas para definir plano para preservar o euro
Elena Salgado, que presidiu a reunião ministerial, disse que a ideia é garantir a estabilidade do euro antes que os mercados reabram. Não há detalhes, no entanto, das possíveis medidas. Uma possibilidade é estender para os próprios Estados da UE um instrumento de ajuda voltado atualmente para países de fora da zona do euro (que reúne os 16 países que adotam o euro como moeda). A quantia disponível no mecanismo, chamado de instrumento de balanço de pagamentos, poderá ser ampliada dos atuais 50 bilhões de euros para 110 bilhões de euros.

 

A expectativa é de que medidas sejam aprovadas ainda hoje. "Precisamos avançar hoje porque, à noite, quando os mercados abrirem, não poderemos nos dar ao luxo de sofrer decepções", disse o ministro sueco Anders Borg, atribuindo a queda do euro a especuladores. Outros, por outro lado, culparam a fragilidade dos governos europeus e a falta de cooperação na região para enfrentar a crise.

 

"Sou contra (a ideia de) que toda a culpa seja atribuída à especulação", disse o ministro Josef Proell, representante da ¿?ustria. "A especulação só dá certo contra países que há anos não cuidam bem de suas finanças", afirmou. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG