Tamanho do texto

Dominique Strauss-Kahn disse crise atual é "antes de tudo, uma crise grega"

O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, disse hoje que os países da União Europeia (UE) deveriam aproveitar a crise atual para renovar suas instituições. "Espero que os europeus aproveitem a crise para renovar e reorientar as instituições europeias", declarou o responsável do FMI em entrevista à emissora "Euronews" que será divulgada nesta noite.

Segundo Strauss-Kahn, "há uma moeda única, mas não existe um âmbito econômico que faça com que esta divisa seja viável quando há uma crise como na atualidade". Após indicar que a crise em si "é algo negativo", o diretor-gerente do Fundo ressaltou que "há algo positivo que surge dela".

Para ele, o positivo "é o fato de que muitos políticos europeus, líderes sindicais, empresários e acadêmicos entendem agora que, se queremos que a UE funcione, é necessário que se complete, que se termine bem o que começou, ou seja, o lançamento do euro". A atual crise "é uma crise antes de tudo grega", afirmou Strauss-Kahn.

Segundo ele, a questão crucial é o crescimento. Após perguntar-se por que a Grécia tem tantas dificuldades para crescer, ele mesmo responde que é porque o país sofre um problema de falta de competitividade. Isso significa que o que esse país produz é mais caro que os bens e serviços fabricados em outros Estados da zona do euro e, portanto, acrescenta, "é necessário regular esse diferencial".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.