Bruxelas, 27 nov (EFE).- Os ministros do Interior da União Européia (UE) acordaram hoje a nova estratégia de luta contra crimes na internet, arquitetada pela Comissão Européia (CE, órgão executivo do bloco).

Entre as novas medidas está a formação de "ciberpatrulhas" que persigam de forma específica os criminosos que atuam on-line.

Nos próximos anos, a UE pretende também reforçar a cooperação entre Polícia e empresas e propõe criar uma plataforma européia que recolha todas as denúncias sobre crimes na internet, como, por exemplo, a publicação de pornografia infantil.

Dessa forma, o bloco europeu quer que os criminosos sejam perseguidos de forma coordenada através da Europol.

Os países-membros querem envolver mais as operadoras de telecomunicações na luta contra esse tipo de conteúdo ilícito para que, a médio prazo, se generalize o bloqueio rápido dos sites que violam a legislação.

Os ministros acordaram hoje também um novo marco para a proteção dos dados pessoais que sejam processados, com base na cooperação entre a Polícia e as autoridades da Justiça de diferentes países europeus.

Barrot disse se tratar do primeiro instrumento deste tipo para toda Europa e assegurou que representa um "grande passo adiante no reforço da proteção de dados".

O texto regula assuntos como o direito à informação e ao acesso aos dados próprios em poder das autoridades, além de compensações em caso de danos por um uso inadequado de um determinado tema. EFE mvs/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.