Kiev - O Ministério de Assuntos Exteriores da Ucrânia expressou hoje sua esperança de que o reatamento das conversas com a Rússia permita, em breve, o estabelecimento de um mecanismo transparente e previsível de fornecimento de gás natural aos consumidores europeus.

Ao mesmo tempo, a Chancelaria atribuiu a Moscou toda a responsabilidade pelo corte do envio de gás natural à Europa através de território ucraniano, por onde passa cerca de 80% das exportações russas.

O comunicado da Chancelaria diz que a Ucrânia é consciente de sua responsabilidade de garantir o trânsito ininterrupto do gás por seu território, mas chama a atenção sobre o fato de que "a parte russa, que cortou totalmente o envio, não permitiu que o combustível chegasse aos consumidores".

A Chancelaria, por outro lado, comemorou a disposição de representantes da Comissão Européia (CE, órgão executivo da UE) de viajar a Ucrânia e Rússia para receber informação objetiva sobre o assunto.

Leia mais sobre: crise do gás

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.