Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

UBS promete dar a volta por cima após perda colossal

O maior banco da Suíça, UBS, que registrou uma perda anual colossal em 2008, promete dar a volta por cima depois de ter ainda demitido funcionários e reorganizado suas atividades.

AFP |

"O quarto trimestre foi o pior na história de nosso banco", admitiu o diretor-geral Marcel Rohner, em entrevista à imprensa em Zurique.

O UBS teve um prejuízo líquido de 19,7 bilhões de francos suíços (13 bilhões de euros) em 2008, contra 5,247 bilhões em 2007, o maior já registrado por uma empresa suíça e, até agora, por um banco na Europa na crise dos "subprime" (créditos hipotecários de alto risco americanos).

No quarto trimestre, o grupo perdeu 8,1 bilhões, contra 13 bilhões há um ano, apesar de um crédito de imposto de 1,7 bilhões.

Os três últimos meses do ano foram agravados por um encargo de 4,2 bilhões decorrente do plano de resgate do banco central, de desvalorizações de ativos de 2,3 bilhões e de custos de reestruturação de 737 milhões.

Mas pior que estas perdas, amplamente antecipadas, a hemorragia de capitais continuou entre outubro e dezembro, com saídas líquidas de 85,8 bilhões.

Em 2008, estas ocorrências totalizaram 226 bilhões, ilustrando a dimensão da perda de confiança de seus clientes.

"Mas a tendência global é animadora", afirmou Rohner. "A situação melhorou no quarto trimestre e o afluxo de dinheiro foi positivo em janeiro", continuou;

"Fomos atingidos muito cedo e reagimos muito rápido", disse Jerker Johansson, diretor do banco de negócios.

O UBS anunciou a demissão de 2.000 funcionários em sua unidade banco de negócios, ficando com um efetivo de 15.000 pessoas.

O grupo cortou no total 11.000 vagas desde outubro de 2007 num esforço de reduzir o estabelecimento e, principalmente, seu banco de investimentos, tido como responsável pelo choque na crise dos créditos hipotecários.

Daqui até o fim deste ano, o gigante bancário terá apenas 75.000 assalariados, um bom nível segundo Rohner.

Apesar de o estabelecimento continuar "prudente quanto às perspectivas a curto prazo, o UBS confirmou que vai voltar rapidamente ao verde. "Voltaremos a lucrar em 2009", afirmou o diretor-geral.

ale/lm/sd

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG