SÃO PAULO - O banco suíço UBS iniciou o ano em fase de recuperação da crise e anunciou nesta segunda-feira que prevê lucros antes dos impostos de, no mínimo, 2,5 bilhões de francos suíços (US$ 2,4 bilhões) no primeiro trimestre. A nota do banco antecipa os resultados oficiais que serão revelados no início do próximo mês, e dá a pauta para a reunião com os investidores, marcada para a próxima quarta-feira. No último trimestre do ano passado, a instituição marcou a reversão de três trimestres consecutivos de prejuízos e revelou lucro líquido de 1,2 bilhões de francos suíços (US$ 1,12 bilhões). "A saída de dinheiro em todos os negócios foi substancialmente menor do que no quarto trimestre de 2009", afirmou no documento o banco, justificando a melhora nos resultados.

SÃO PAULO - O banco suíço UBS iniciou o ano em fase de recuperação da crise e anunciou nesta segunda-feira que prevê lucros antes dos impostos de, no mínimo, 2,5 bilhões de francos suíços (US$ 2,4 bilhões) no primeiro trimestre. A nota do banco antecipa os resultados oficiais que serão revelados no início do próximo mês, e dá a pauta para a reunião com os investidores, marcada para a próxima quarta-feira. No último trimestre do ano passado, a instituição marcou a reversão de três trimestres consecutivos de prejuízos e revelou lucro líquido de 1,2 bilhões de francos suíços (US$ 1,12 bilhões). "A saída de dinheiro em todos os negócios foi substancialmente menor do que no quarto trimestre de 2009", afirmou no documento o banco, justificando a melhora nos resultados. As estimativas da instituição apontam para saídas de 15 bilhões de francos suíços nos três primeiros meses do ano, valor cerca de um terço menor do que o registrado no trimestre anterior. A unidade de negociação de dívida também é destaque de recuperação no primeiro trimestre. O banco UBS foi um dos europeus que mais sofreram com a crise e necessitou da ajuda governamental para sobreviver. O novo executivo-chefe da companhia, Oswald Grübel, que assumiu o cargo no ano passado, busca melhorar as condições da unidade de banco de investimentos e reduzir a saída de recursos do segmento de private banking. (Vanessa Dezem | Valor com agências internacionais)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.