Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

UBS corta empregos depois de prejuízo de US$7 bi no 4o trimestre

Por Lisa Jucca ZURIQUE (Reuters) - O UBS vai cortar mais 2 mil empregos como parte de uma dura reestruturação depois que sofreu o maior prejuízo anual já registrado na Suíça. O banco informou que os saques de recursos de clientes parou em janeiro.

Reuters |

O UBS divulgou nesta terça-feira prejuízo líquido de 8,1 bilhões de francos suíços (7 bilhões de dólares) no quarto trimestre, acima da média de previsões de analistas ouvidos pela Reuters, de 7,1 bilhões de francos suíços.

O prejuízo líquido no ano de 2008 somou 19,7 bilhões de francos suíços, também acima da expectativa dos analistas, de 18,7 bilhões de francos.

O prejuízo do quarto trimestre veio depois de uma perda de 8,8 bilhões de francos suíços com algumas operações, bem como encargos que a instituição teve de assumir após vender bilhões em ativos podres ao Banco Nacional Suíço quando foi resgatado pelo Estado em outubro.

O presidente-executivo do UBS, Marcel Rohner, afirmou a jornalistas que o maior banco da Suíça ainda tem como meta registrar lucro em 2009 depois de ver alguns sinais positivos no ambiente de negócios no início deste ano.

"O UBS teve um início de ano encorajador", afirmou o banco em comunicado. "Entretanto, as condições dos mercados financeiros continuam frágeis uma vez que os fluxos de caixa continuam a se deteriorar.... Nosso cenário de curto prazo continua sendo de cautela."

O UBS continuou a sofrer grandes saídas de capital no quarto trimestre na divisão de gestão de fortunas. Mas o banco suíço informou que o fluxo líquido de recursos tornou-se positivo em janeiro tanto nessa divisão quando na unidade de gestão de ativos. Foi a primeira vez que isso ocorreu depois de uma série de trimestres negativos. O banco não deu detalhes.

"Em seu comunicado sobre perspectivas, o UBS indica um forte início de 2009 e uma reversão nos fluxos de dinheiro. Continuamos céticos uma vez que a limpeza da bagunça vai demorar vários trimestres", disse Dirk Becker, analista da Kepler Capital Markets.

As ações do UBS chegaram a disparar 7 por cento após a divulgação do resultado, antes de perderem um pouco da força, exibindo valorização de 2,95 por cento, às 7h33 (horário de Brasília).

Rohner afirmou que o UBS não pagará dividendos sobre 2008.

O banco também anunciou mudanças estruturais para voltar a se concentrar no núcleo de suas atividades na Suíça, a divisão de gestão de fortunas. Essa operação é a maior do mundo.

O UBS também divulgou a criação de duas divisões: Wealth Management & Swiss Bank sob o comando de Franco Morra e Juerg Zeltner, e Wealth Management Americas, liderada por Marten Hoekstra. Todos são membros do conselho de administração do banco.

O UBS informou ainda que continua cortando o tamanho de sua problemática unidade de banco de investimento, afirmando que tem como meta reduzir a equipe dos atuais 17.171 funcionários para 15 mil.

Rohner, que afirmou que o quarto trimestre foi "o pior cenário da história para banco de investimento", acrescentou que o UBS tem como meta reduzir sua folha dos atuais 77 mil para 75 mil empregados em meados deste ano.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG