Tamanho do texto

SÃO PAULO - A ministra de Relações Exteriores, a moderada Tzipi Livni, se declarou vencedora das eleições gerais de ontem e pediu ao candidato do Likud, o conservador Benyamin Netanyahu, que forme com ela um governo de coalizão. Com dois terços das urnas, apuradas o Kadima, o partido de Livni, tinha 29 das 120 cadeiras do Parlamento e o Likud, 28. Sem maioria, Livni será forçada a compor um governo de coalizão.

Mas longe de aceitar o aceno de Livni, Netanyahu também se declarava ontem vencedor, alegando que os partidos da conservadores tinham obtido um número de cadeiras muito maior que o dos moderados.

Se a apuração final confirmar Livni, ela poderá ser a segunda mulher a ocupar o cargo de primeiro-ministro do país (a primeira foi Golda Meir nos anos 70). Mas para isso terá pela frente de complicada tarefa de formar um governo.

(Valor Econômico)