SÃO PAULO - As TVs de tela de cristal líquido (LCD) devem se tornar o principal segmento da indústria de eletrônicos de consumo até 2012. O forte ritmo de crescimento não deverá ser afetado nem mesmo pelas condições econômicas adversas, afirma a consultoria iSuppli.

Em 2012, o faturamento das fabricantes de TVs de LCD deve ser de US$ 110,8 bilhões, quase o dobro dos US$ 61 bilhões registrados no ano passado.

Segundo a analista sênior da iSuppli, Sheri Greenspan, a receita com vendas de TVs de LCD deve superar a de aparelhos eletrônicos domésticos - como cafeteiras e liquidificadores - até 2012. Essa será a primeira vez que o segmento de aparelhos domésticos, extremamente vasto, não será a maior fonte de receita na indústria de eletrônicos de consumo. Atualmente, as TVs de LCD estão em segundo lugar no ranking de receita da indústria, que tem 20 categorias de produtos, segundo a metodologia do iSuppli.

"Os consumidores querem eletrônicos, em tempos bons e maus", afirmou a analista. "Por causa disso, o mercado de eletrônicos de consumo continuará seu crescimento sustentado ao longo dos próximos quatro anos, puxado pelas TVs de LCD, em conjunto com os aparelhos domésticos, conversores digitais, câmeras digitais e consoles de videogames", acrescentou.

Segundo a consultoria, a transição cada vez mais acelerada para a tecnologia digital de transmissão, a queda acentuada nos preços e a preferência dos clientes por aparelhos de alta definição e tela fina são os fatores principais que têm impulsionado a venda de TVs de LCD. Segundo a analista, a receita global das fabricantes de eletrônicos cresceu 2% no ano passado e deve ter alta de mais 6,5% neste ano, segundo a previsão de faturamento do setor da consultoria.

(José Sergio Osse | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.