Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Turbinas para hidrelétrica chegam a Brasília de avião

A demora no processo de licenciamento ambiental no setor elétrico provocou hoje uma cena rara no aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília, quando dois aviões cargueiros russos desembarcaram as duas primeiras turbinas que serão usadas para gerar energia na hidrelétrica de Corumbá III, em Goiás. O equipamento, que normalmente é transportado por navio, foi trazido de avião para garantir que a usina comece a funcionar até maio deste ano.

Agência Estado |

Para transportar as turbinas, que pesam mais de 40 toneladas, a Energ Power, empresa responsável pela parte eletromecânica da usina, contratou dois cargueiros aéreos de grande porte: um Antonov 124 e um Boeing 747. As turbinas são fabricadas pela empresa russa Energomashexport - Tyazhmash e serão usadas por Corumbá III para gerar 93 megawatts (MW) de energia. Do aeroporto, o equipamento, que tem aproximadamente 3,5 metros de diâmetro, seguiu em carretas para a hidrelétrica, instalada no rio Corumbá, na cidade de Luziânia.

O cronograma inicial da usina teve de ser readequado, porque a licença ambiental da linha de transmissão que ligará a hidrelétrica à subestação de Mangueiral, no Distrito Federal, atrasou mais de 14 meses para ser emitida. A energia produzida em Corumbá III foi inteiramente contratada pela Companhia Energética de Brasília (CEB). A previsão de investimentos na usina é de cerca de R$ 400 milhões.

O diretor de Marketing da Energ Power, Jorge Augusto dos Santos, disse que se as turbinas tivessem vindo de navio teriam sido necessários três meses para chegarem ao Brasil e, de avião, levaram uma semana. A empresa, segundo ele, teve um gasto sete vezes maior com o transporte aéreo, mas garantiu a chegada do equipamento em janeiro, permitindo sua montagem e funcionamento até maio.

O início da operação comercial da usina estava previsto anteriormente para o segundo semestre de 2008, mas em função do atraso da licença teve de ser renegociado com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

O grupo Neoenergia, que lidera o consórcio responsável pela construção da usina, informou que outro conjunto de turbinas será importado da Rússia em fevereiro. As obras da usina, segundo a empresa, começaram em 2006, com a entrada da Neoenergia no empreendimento.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG