O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Rider Nogueira de Brito, marcou para segunda-feira a audiência de conciliação entre representantes dos funcionários grevistas da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) e da direção da empresa. A assessoria do TST explicou que,caso não haja consenso para o fim da greve, deflagrada terça-feira passada, será nomeado um relator para levar o processo a julgamento.

A audiência foi marcada para as 9 horas.

A ECT ingressou hoje com pedido, protocolado pessoalmente no Tribunal por seu presidente, Carlos Henrique Custódio, para que a greve seja declarada abusiva e para que o TST determine, por meio de liminar, a manutenção de pelo menos 70% dos funcionários trabalhando em cada um das unidades operacionais. No começo da noite, a ECT divulgou nota à imprensa em que Custódio afirma ser a greve " um desrespeito à população" e que foi deflagrada fora do período da data-base, em agosto. "Fizemos tudo o que foi possível para atender à reivindicação da categoria", afirma na nota o presidente da ECT.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.