Brasília - O Tribunal Superior do Trabalho (TST) deve decidir ainda nesta sexta-feira se considera a greve dos funcionários da Caixa Econômica Federal abusiva. Ontem (15) à noite, a Caixa entrou com ação de dissídio coletivo, com pedido de liminar. O banco quer que a greve seja declarada abusiva e que o TST determine o retorno imediato dos empregados ao trabalho.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237577225182&_c_=MiGComponente_C

Uma das partes entra com dissídio quando considera que não há como solucionar questões por meio da negociação direta entre trabalhadores e empregadores.

Quando a ação chega ao TST cabe ao vice-presidente, neste caso o ministro João Oreste Dalazen, despachar e partir para a primeira etapa do processo, que é a realização de audiência de conciliação. O objetivo dessa audiência é definir um acordo entre as partes. Se não houver acordo, a próxima fase é a de instrução, em que o ministro interroga as partes para julgar a ação.

Hoje, às 16h, os trabalhadores em greve realizam nova assembleia, em Brasília. Os funcionários da Caixa estão em greve desde o dia 24 de setembro.

Leia mais sobre greve dos bancários

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.