SÃO PAULO - O ministro Aldir Passarinho Júnior, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), julgou improcedente a representação da oposição que acusava o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, de campanha antecipada. Na ação, PSDB, DEM e PPS afirmavam que, durante inauguração de prédios na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, em Teófilo Otoni (MG), Lula teria discursado em favor da ministra, quando teria dito que faria a sua sucessora para dar continuidade ao que foi feito durante o seu governo.

Neste sentido, argumenta a oposição, o verdadeiro propósito da viagem do presidente teria sido "propagandear que vai fazer a sua sucessão".

Em seu parecer, Passarinho assinalou que o nome de Dilma não foi citado durante o discurso de Lula e sua presença na inauguração é inerente ao cargo que ocupa. "Seu nome não foi sequer mencionado, tampouco houve alusão ao seu trabalho, feitos, potencial ou qualidades", salientou.

(Fernando Taquari | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.