O Banco Central Europeu (BCE) sinalizou que outro corte no juro assim como detalhes sobre novos meios não convencionais de aumentar a base monetária poderão vir em sua próxima reunião em maio. O presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, apresentou estas previsões aos jornalistas depois de o banco central surpreender os mercados hoje cedo com um corte de 0,25 ponto porcentual da taxa básica para zona do euro, para 1,25% ao ano.

A expectativa era de corte de 0,50 ponto porcentual.

Trichet, que disse que o corte menor reflete o cenário de diminuição das pressões de inflação, disse que "1,25% não é o piso" para a principal taxa de juro. "Faremos todo o possível para reativar nosso mercado monetário", disse, prometendo dar detalhes dos planos do BCE sobre outros meios de injetar mais dinheiro na economia dos 16 países da zona do euro no próximo mês. Os mercados financeiros estavam esperando que o BCE oferecesse detalhes sobre um possível plano de aumento a base monetária hoje.

Risco menor de inflação

Os riscos inflacionários diminuíram na zona do euro e a economia permanece fraca, disse Trichet após a reunião de política monetária. "As pressões inflacionárias estão diminuindo", disse, acrescentando que a atividade econômica no começo do ano foi "muito fraca".

Explicando a decisão, Trichet afirmou que as pressões inflacionárias estão caindo em razão da queda nos preços das matérias-primas (commodities) e do enfraquecimento da economia europeia, para a qual o banco central não espera ver recuperação até 2010. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.