Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Trichet descarta risco inflacionário, mas vê juros já muito baixos

SÃO PAULO - O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, reforçou hoje que as pressões inflacionárias e riscos estão diminuindo, acrescentando que a demanda global e da zona do euro devem continuar contidas por um longo período. Ainda assim, o mercado viu sinais do discurso do dirigente que apontam para uma possível pausa no ciclo de cortes na taxa básica de juros.

Valor Online |

A autoridade monetária européia divulgou hoje cedo uma redução de 0,5 ponto percentual no juro básico da região, para 2% ao ano, menor patamar histórico. A redução já era esperada pelo mercado e foi alinhada com a diminuição, também de 0,5 ponto, promovida pelo Banco da Inglaterra na semana passada. Lá o juro também ficou em 2% ao ano.

"Os riscos à estabilidade de preços estão amplamente equilibrados no médio prazo", afirmou Trichet, lembrando que a avaliação é retirada dos dados econômicos que apontam declínio da economia da região.

Ainda assim, alguns analistas ponderam que o BCE está relutante a perseguir o exemplo dos Estados Unidos, que diminuiu o custo do dinheiro no país a praticamente a zero. A avaliação é de que a autoridade monetária européia deve esperar novos números e as projeções de inflação antes de tomar novas decisões de corte, que ocorrerão em março, conforme reforçou o dirigente.

"Não é intenção do Conselho (do BCE) cair em uma armadilha de liquidez", afirmou Trichet em coletiva de imprensa em Frankfurt. Ele acrescentou que 2% não é um piso, mas disse que a taxa está num patamar "muito, muito baixo".

(Valor Online, com agências internacionais)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG