Frankfurt (Alemanha), 8 abr (EFE).- O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, considerou hoje o compromisso do Governo grego de reduzir seu déficit fiscal de "muito sério" e "factível", diante da reiterada desconfiança dos mercados sobre sua capacidade para pagar a dívida.

Frankfurt (Alemanha), 8 abr (EFE).- O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, considerou hoje o compromisso do Governo grego de reduzir seu déficit fiscal de "muito sério" e "factível", diante da reiterada desconfiança dos mercados sobre sua capacidade para pagar a dívida. Na entrevista coletiva após a reunião do Conselho do BCE, Trichet descartou o risco de falta de pagamento da Grécia e deu as boas-vindas a uma eventual intervenção do Fundo Monetário Internacional (FMI), após insistir que é necessário que participem do processo os Governos da eurozona. O presidente do BCE assinalou que a entidade monetária europeia esteve sempre a favor do apoio do FMI, apesar de alguns membros do conselho de Governo tenham se manifestado contrários. Trichet ressaltou que o BCE se opunha à intervenção do FMI sozinho, sem contar com os Governos da zona do euro e o próprio BCE. Pelo terceiro dia consecutivo, a Bolsa grega abriu e queda e hoje amargou uma baixa de 5%, enquanto o custo dos juros da dívida se mantém em níveis históricos diante das dúvidas nos mercados sobre a capacidade do país para enfrentar a crise. A pressão sobre a Grécia pode ser notada também sobre as demais bolsas europeias e sobre o euro, que voltou a registrar um mínimo anual em seu câmbio com o dólar. EFE aia/dm
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.