Tamanho do texto

(atualiza com nova informação sobre motivo da sentença). Rabat, 16 nov (EFE).- O Tribunal de Primeira Instância de Casablanca condenou hoje Rachid Niny, diretor do jornal Al Massae, o mais lido do Marrocos, a três meses de prisão por causa da publicação de uma informação falsa.

Segundo informou a agência "MAP", Niny foi penalizado com multa de 50 mil dirham (4.400 euros), enquanto outro jornalista do periódico, Said Laajal, foi condenado a dois meses de prisão e ao pagamento de multa de 30 mil dirham (2.600 euros) por participação nesses fatos.

Fontes ligadas ao caso explicaram à Agência Efe que a "falsa informação" se refere a um artigo publicado em agosto no qual um funcionário marroquino era envolvido em uma rede de tráfico de drogas no norte do Marrocos.

O junho, o mesmo tribunal condenou o jornal e a "Al-Jarida al-Ula" e a "Al Ahdath Al Maghribia" a pagarem multas de 90 mil euros por danos e prejuízos e de 9 mil euros por difamação contra o líder líbio, Muammar Kadafi.

Entre outras de suas penas recentes, Niny foi condenado em outubro de 2008 a pagar mais de meio milhão de euros também por difamação, após publicar uma notícia com a declaração de um policial sobre a presença de um juiz local, que não foi identificado, em um suposto "casamento homossexual" em Alcazarquivir, no norte do Marrocos. EFE mgr/dm-pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.