Tamanho do texto

Pequim, 25 mar (EFE).- Um tribunal de Justiça da província chinesa de Hebei acatou o primeiro pedido de indenização para uma vítima de adulteração do leite infantil com melamina, escândalo ocorrido na China em 2008, informou hoje a agência oficial Xinhua.

Segundo Wang Wei, porta-voz do Tribunal do distrito de Xinhua, em Shijiazhuang - capital da província e sede da empresa do ramo de laticínios Sanlu, principal envolvida no escândalo -, a corte local aceitou o pedido de um morador de Pequim.

O litigante, pai de uma das mais de 300 mil crianças que sofreram problemas renais por causa da melamina, pediu indenização de 31 mil iuanes (US$ 4.530) à Sanlu por danos e prejuízos.

Pelo menos seis bebês morreram no ano passado na China após a ingestão de leite adulterado com melamina.

A Sanlu, uma das maiores empresas chinesas do ramo de laticínios, quebrou por causa do escândalo.

Pouco tempo depois, as 22 companhias do setor envolvidas no escândalo iniciaram um processo de compensação para as famílias afetadas por meio do pagamento de US$ 292 em troca da desistência a recorrer a qualquer via judicial.

Segundo a imprensa chinesa, 95% das famílias aceitaram a indenização, enquanto que 500 delas estão na Justiça.

Alguns dos pais das crianças intoxicadas que levaram seus casos aos tribunais denunciaram há poucos dias que estão sendo intimidados pelas autoridades para que reconsiderem sua postura. EFE gmp/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.