A montadora japonesa Toyota tomou novas medidas para reduzir a produção e irá oferecer a todos os seus 25 mil empregados na América do Norte um pacote de demissão voluntária. O pacote é constituído de 10 semanas de pagamentos, mais duas semanas de pagamento para cada ano trabalhado na companhia e um adicional de US$ 20 mil.

A companhia, de acordo com o seu porta-voz Mike Goss, não prevê um número significativo de adesões e não tem metas para esse "programa de saída voluntária".

Além desse pacote, o grupo disse que está eliminando bônus para aproximadamente 3 mil executivos e empregados assalariados e diminuindo o salário dos executivos. A montadora acrescentou que não haverá aumentos de salário no futuro próximo e os bônus de primavera pagos aos horistas serão reduzidos e depois, eliminados. "Estamos tomando todas as medidas que podemos para proteger o emprego", disse Goss.

A jornada semanal de trabalho será reduzida em 10% em diversas unidades em abril. As fábricas de San Antonio e Princeton, no Estado norte-americano de Indiana, deverão adotar o programa primeiro. As duas unidades já estão operando com metade da capacidade. Em outras fábricas, a quantidade de dias de paralisação da produção será aumentada em abril. A intenção da montadora é cortar à metade seus níveis de estoques.

"Com a duração da semana de trabalho reduzida e outras medidas de cortes de custos, nós planejamos continuar utilizando completamente a equipe de funcionários que temos", disse Goss. O programa de demissão voluntária "foi elaborado apenas como uma opção para os trabalhadores que queiram fazer outra coisa". As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.