A Toyota Motor, a maior montadora do mundo em volume, retornou ao azul no quarto trimestre fiscal, uma vez que o corte de custos e a sólida demanda doméstica ajudaram a compensar a queda das vendas em alguns mercados externos devido ao recall global feito pela montadora. A Toyota afirmou que registrou lucro líquido de 112,2 bilhões de ienes (US$ 1,2 bilhão) nos três meses encerrados no dia 31 de março, em comparação com o prejuízo líquido de 765,8 bilhões de ienes no mesmo período do ano passado.

A Toyota Motor, a maior montadora do mundo em volume, retornou ao azul no quarto trimestre fiscal, uma vez que o corte de custos e a sólida demanda doméstica ajudaram a compensar a queda das vendas em alguns mercados externos devido ao recall global feito pela montadora. A Toyota afirmou que registrou lucro líquido de 112,2 bilhões de ienes (US$ 1,2 bilhão) nos três meses encerrados no dia 31 de março, em comparação com o prejuízo líquido de 765,8 bilhões de ienes no mesmo período do ano passado. A montadora postou um lucro operacional de 95,3 bilhões de ienes no período, em comparação com o prejuízo operacional de 682,5 bilhões de ienes no mesmo período do ano passado. As vendas subiram 49%, para 5,280 trilhões de ienes no quarto trimestre fiscal, comparado com os 3,536 trilhões de ienes em vendas registrados no mesmo trimestre de 2009. No ano fiscal cheio encerrado em março, a companhia registrou um lucro líquido de 209,46 bilhões de ienes, um lucro operacional de 147,52 bilhões de ienes e vendas de 18,951 trilhões de ienes. A Toyota está lutando para reconstruir a imagem de sua marca, depois que realizou um recall de mais de 8,5 milhões de veículos em todo o mundo no início do ano. A companhia está tentando melhorar seus controles de qualidade e reconquistar os clientes dos EUA com descontos generosos. No atual ano fiscal, que será encerrado em março de 2011, a companhia prevê um crescimento de 48% do lucro líquido, para 310 bilhões de ienes, um aumento de 90% do lucro operacional, para 280 bilhões de ienes, e uma alta de 1,3% das vendas, para 19,20 trilhões de ienes. A previsão otimista é um sinal claro de que o recall da montadora não vai se arrastar até o ponto de frear a recuperação da empresa, após a montadora registrar seu primeiro prejuízo líquido anual em 59 anos no ano fiscal encerrado em março de 2009. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.