Tamanho do texto

Washington, 22 fev (EFE).- A Toyota reconheceu em julho passado que economizou mais de US$ 100 milhões com um recall limitado referente a problemas com o acelerador, segundo documentos revelados hoje pela imprensa local.

O documento afirma que um recall "negociado" em 2007 de 55 mil veículos com problemas repentinos de aceleração tinha feito a empresa economizar mais de US$ 100 milhões, pois a companhia dizia não ter encontrado defeito nos veículos.

Mas após a morte dos quatro integrantes de uma família na Califórnia quando viajavam em um Lexus (carro de luxo da Toyota), a empresa se viu obrigada a fazer dois novos recalls que já totalizam 5,4 milhões de unidades.

O documento interno no qual a Toyota ressalta as economias da chamada limitada a revisão inicial faz parte de 50 mil documentos que o fabricante remeteu ao Congresso americano.

O presidente da Toyota, Akio Toyoda, deve depor na quarta-feira perante o Comitê de Controle e Reforma Governamental da Câmara dos Representantes que está investigando a atuação da empresa.

Segundo informou hoje o jornal "The Detroit News", outros documentos internos revelam que a Toyota economizou dezenas de milhões de dólares ao atrasar a implementação de novas regulações.

Os diretores da empresa nos Estados Unidos avaliaram em US$ 124 milhões o atraso na implementação de medidas sobre airbag laterais e outros US$ 11 milhões em atrasos referentes a fechamentos de portas.

EFE jcr/sa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.