SÃO PAULO - O Brasil fechou o ano passado com 159 milhões de pessoas em idade ativa, dos quais 62% estavam inseridos no mercado de trabalho. Do total de brasileiros em idade ativa, 57% estavam ocupados e 5% se encontravam desocupados.

Os dados constam da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio 2007 (PNAD 2007), divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No ano anterior, a taxa de atividade foi estimada em 62,4%, com 57,2% de ocupados e 5,3% de desocupados.

Em termos absolutos, apesar da queda relativa do nível de ocupados ter saído de 57,2% para 57%, o total de pessoas ocupadas subiu 1,6%, para 90,8 milhões de pessoas entre 2006 e 2007. O nível de ocupação para os homens foi de 68%, mais elevado do que os 46,7% das mulheres. Em relação à população desocupada, além do recuo percentual, houve redução do contingente, de 8,2 milhões para 8,1 milhões de pessoas no período.

Conforme a pesquisa, a população desocupada se divide entre os que já trabalharam anteriormente (70,5%) e os que nunca trabalharam (29,5%), sendo que estes últimos avançaram 2,1% em relação ao contingente de 2006 e, os primeiros diminuíram 3,4%.

Em termos regionais, entre o ano passado e o antecedente, foi observado aumento da população em idade ativa em todas as grandes regiões, com destaque para a região Norte (2,7%).

O total de ocupados também apresentou crescimento em todas as regiões, sobressaindo a região Centro-Oeste, que registrou um aumento de 4,2%. Nas regiões Sul (62,4%) e Sudeste (56,1%), não houve alteração na proporção de pessoas ocupadas no total de pessoas com 10 anos ou mais de idade e, nas Regiões Nordeste (55,1%) e Norte (55,5%), a queda da estimativa foi de 0,6 ponto e 1,1 ponto percentual, na ordem.

Quanto à população desocupada foi observado comportamento diferenciado entre as regiões. Enquanto nas regiões Sudeste e Sul houve queda do contingente, de 5,1% e 1,3%, respectivamente, nas demais houve ampliação, como é o caso do Norte (11,4%). "O aumento foi mais discreto no Nordeste (0,4%) e no Centro-Oeste (0,8%)", observou o IBGE.

Sobre a taxa de desocupação, na região Sul, foi registrada a menor marca (5,8%). Na Sudeste, foi observada a maior taxa, de 9%.

"(Rafael Rosas | Valor Online)"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.