A Bolsa de Tóquio fechou com baixa acentuada, na esteira da queda dos mercados globais provocada pelo corte dos ratings soberanos da Grécia e de Portugal, que reacendeu as preocupações sobre a dívida europeia. O índice Nikkei 225 caiu 287,87 pontos, ou 2,6%, e fechou aos 10.

A Bolsa de Tóquio fechou com baixa acentuada, na esteira da queda dos mercados globais provocada pelo corte dos ratings soberanos da Grécia e de Portugal, que reacendeu as preocupações sobre a dívida europeia. O índice Nikkei 225 caiu 287,87 pontos, ou 2,6%, e fechou aos 10.924,79 pontos. Foi a maior queda em pontos desde 5 de fevereiro.

A desvalorização do euro afetou especificamente as ações das companhias exportadoras, anulando o efeito positivo da divulgação de alguns balanços. "Há o temor de que os investidores saiam dos ativos mais arriscados, como as ações", disse Masanaga Kono, estrategista do Société Générale Asset Management.

Os futuros do Nikkei também tiveram intenso movimento de vendas, uma vez que as corretoras estrangeiras, grandes compradoras na sessão da véspera, esvaziaram suas posições nesta quarta-feira depois da decisão da Standard & Poor´s sobre os ratings de Portugal e da Grécia, com efeito sobre os títulos da dívida europeia e sobre o euro.

Uma enxurrada de balanços majoritariamente positivos divulgados depois do fechamento da Bolsa na terça-feira pouco fez para aplacar a pressão externa sobre o mercado. As ações da Sharp fecharam em queda de 2,4%, a despeito dos sólidos resultados apresentados pela companhia no trimestre janeiro-março e de suas previsões. As informações são da Dow Jones

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.