Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Todo mundo quer sentir a velocidade na internet

Todo mundo quer sentir a velocidade na internet Por Lucas Pretti São Paulo, 29 (AE) - Quando a luz verde apagar no domingo e Felipe Massa acelerar em Interlagos para tentar colocar de novo o Brasil no topo da Fórmula 1, ele estará sendo observado não apenas pelos 18 mil espectadores no autódromo e os milhões da televisão. Uma legião de pessoas gasta o botão F5 em toda corrida para saber, a cada minuto, a evolução dos pilotos.

Agência Estado |

E não é só com a Fórmula 1. A internet está inundada por automobilismo.

Depois da morte de Ayrton Senna, em 1994, o interesse por corridas no Brasil diminuiu - e o espaço na mídia tracidional também. Veio Rubinho e a falta de resultados não despertou interesse. Ao mesmo tempo, a internet se popularizava, ao ponto de reunir, na era Massa, todo o principal conteúdo produzido sobre automobilismo.

Na web há blogs de aficionados, podcasts, colunas de pilotos, transmissões ao vivo e uma TV com programas o dia inteiro. Dá até para montar uma "grade de programação" com as principais competições.

O conteúdo vai realmente além. Veja o exemplo do blog F1 Nostalgia (f1nostalgia.blogspot.com), com posts diários de fotos, informações e classificatórias de corridas de uma época que, segundo o autor Rianov Albinov, "era boa de assistir". Não é o tipo de material que importa nas coberturas tradicionais.

Na semana passada, por exemplo, os destaques eram os "azarados", que tinham sempre chance de ganhar, mas nunca levavam. Bem diferente da avalanche de Hamilton e Massa nos portais, protagonistas das provocações pré-Interlagos.

Para um dos pioneiros da cobertura de automobilismo na web, o jornalista Flávio Gomes, sempre é preciso ter relevância, mesmo em blogs. "Amadores não se sutentam." O exemplo, para ele, são os blogs de futebol: inúmeros, e que não ofuscam a função dos jornais online. Claro, o site Grande Prêmio (www.grandepremio.com.br), de Gomes, está lotado de notícias sobre Interlagos.

Mas deixemos a F-1 de lado. Há muito além no automobilismo e na web. O canal online Race TV (www.racetv.com.br) é especializado em "motor", isto é, em tudo que envolve rodas, câmbios e pódios. Não é preciso baixar vídeos nem ter qualquer software instalado: basta entrar no site para assistir à transmissão via broadcast de um dos 12 programas. O conteúdo fica disponível também em demanda.

O diretor da Race TV, Antonio Ermínio de Moraes Filho, diz que o segredo da web é conteúdo. "Temos 60 pessoas na equipe." Eles são os únicos a acompanhar, por exemplo, corridas "desconhecidas" do grande público, como a GT3. Prova de que a web é o destino dos apaixonados por carro.

A Race TV é gratuita, não requer nem cadastro, um modelo de negócio típico da economia gratuita da web. Blogueiros especializados em carros também recorrem ao não-apelo comercial. Os autores do podcast Café com Velocidade, Thiago Raposo e Bárbara Franzin, gravam programas semanais e especiais antes de corridas. E distribuem de graça.

"Gostaria muito de viver do blog e do podcast, mas nunca foi meu objetivo", afirma Raposo, engenheiro de telecomunicações. Ele vende o peixe do www.cafecomf1.com com o slogan "A cobertura campeã do final de semana". São os dias livres para postar e se dedicar ao blog.

Além dessas opções, nunca é demais ir a sites de vídeos como o YouTube ou Vimeo para buscar pérolas. O Link selecionou duas, ao lado. Aproveite a vastidão da web e acelere.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG