Tamanho do texto

SÃO PAULO - Não são só as ações das General Motors (GM) e da Ford que estão sofrendo com a crise das montadoras. Os papéis de dívida das duas gigantes do setor automobilístico estão sendo negociados a cerca de 20% a 25% do seu valor de face.

Isso representa uma queda de 75% a 80% em relação ao preço de negociação um ano atrás, segundo as agências internacionais.

Os analistas ressaltam que esse tipo de preço está compatível com o observado em títulos de dívida da empresas que pediram concordata e renegociaram o pagamento das suas obrigações.

Este seria um sinal de que os investidores não estão muito confiantes na aprovação de um pacote de ajuda ao setor em breve pelo governo dos EUA.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.