Quito, 19 ago (EFE).- A companhia petrolífera americana Chevron-Texaco assegurou hoje que procura uma solução justa e total no julgamento pelo dano ambiental que acontece em uma corte equatoriana, mas pediu que o Estado respeite os acordos assinados e evite interferir no processo.

"A Texaco deseja uma solução justa e total do caso, que é julgado pela Suprema Corte na província amazônica de Sucumbíos", assinalou à Agência Efe James Craig, porta-voz da companhia petrolífera.

No entanto, afirmou que a Texaco exige que o Governo do Equador e sua empresa estatal, a Petroecuador, "reconheçam suas obrigações" no caso e respeitem os acordos contratuais.

Em um desses acordos, o Equador reconhece que a Texaco cumpriu sua parte na recuperação ambiental após o acidente.

"A Texaco se mantém aberta a uma solução amistosa, mas esse diálogo deverá incluir as obrigações contratuais não cumpridas pela Petroecuador, assim como um compromisso do Estado equatoriano de deixar de interferir no julgamento em curso", acrescentou.

Craig disse que a posição da companhia de dialogar não significa que desistiu de defender sua inocência no processo aberto por 30.000 indígenas e colonos equatorianos por danos ambientais.

"Temos plena confiança em nossa posição", afirmou o porta-voz, que não descartou a possibilidade de uma reunião com autoridades equatorianas. EFE fa/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.