Tamanho do texto

A Securities and Exchange Commission (SEC, a comissão norte-americana que lida com valores mobiliários) tem o testemunho de um ex-executivo da empresa de fundo de proteção (hedge) Paulson & Co., que parece contradizer as evidências da acusação de fraude civil feita pela comissão contra o Goldman Sachs, de acordo com reportagens do canal de TV norte-americano CNBC divulgadas hoje.

A Securities and Exchange Commission (SEC, a comissão norte-americana que lida com valores mobiliários) tem o testemunho de um ex-executivo da empresa de fundo de proteção (hedge) Paulson & Co., que parece contradizer as evidências da acusação de fraude civil feita pela comissão contra o Goldman Sachs, de acordo com reportagens do canal de TV norte-americano CNBC divulgadas hoje.

A rede afirmou que analisou os documentos relativos a Paolo Pellegrini, principal funcionário da Paulson & Co. envolvido nas negociações com o Goldman Sachs sobre as obrigações de dívida colateralizadas (CDOs), que estão sendo investigadas no caso. Pellegrini, de acordo com os documentos, disse a um advogado do governo dos EUA que revelou a intenção da Paulson de assumir uma posição vendida (aposta em baixa) em um CDO chamado Abacus 2007-AC1 para uma representante da ACA Management LLC - empresa que o Goldman havia contratado para servir como um "agente de seleção do portfólio".

"Você disse à ela que você estava interessado em assumir uma posição vendida no Abacus", teria perguntado o advogado do governo a Pellegrini, de acordo com a CNBC. "Sim, este foi o propósito do encontro", teria respondido o executivo. A representante da ACA foi identificada como sendo a gestora de CDO Laura Schwartz.

Se for verdade, o testemunho de Pellegrini parece ir diretamente de encontro às declarações da SEC que a ACA não sabia que Paulson estava apostando contra o CDO. Também poderia derrubar as acusações de que o Goldman violou seu dever ao não informar a ACA da posição vendida assumida pela Paulson. Chamado para comentar o assunto, o porta-voz da SEC, John Nestor, disse à CNBC: "Estamos ansiosos para apresentar um registro completo e exato de provas no tribunal." As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.