O secretário adjunto do Tesouro Nacional, Paulo Valle, iniciará esta semana um giro para avaliar o interesse de investidores estrangeiros em uma possível emissão soberana de bônus da dívida brasileira. Valle disse que viajará ao balneário mexicano de Cancún na sexta-feira para se reunir com investidores, durante a reunião anual de governadores do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Depois, entre 25 e 27 de março, ele participará de um evento sobre investimentos internacionais no Egito.

"Estamos sempre avaliando as condições de mercado (para a emissão de bônus). Eventos como esses são uma boa oportunidade de avaliar o apetite dos investidores pelos bônus brasileiros", disse Valle. Segundo ele, devido ao confortável perfil da dívida, os planos do Tesouro brasileiro de acessar mercados estrangeiros de capital se concentrará em bônus de longo prazo.

"Para o futuro, o mais provável são emissões de bônus de vencimento em 10 ou 30 anos", comentou. O interesse dos investidores nos bônus brasileiros atualmente é alto. Na terça-feira, o Bradesco captou US$ 750 milhões em uma venda de bônus com prazo de cinco anos, com yield (retorno) de 4,101%. Enquanto isso, a mineradora Vale realiza um roadshow para promover a venda de um bônus de oito anos denominado em euros. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.