O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, informou hoje que o Tesouro vai acelerar as compras de dólares para conter a pressão sobre o câmbio. O governo, segundo ele, tem dois mecanismos para a atuação: o de acelerar as compras de dólares para pagamento de dívida externa e o de utilizar o Fundo Soberano do Brasil (FSB) na compra da moeda estrangeira.

O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, informou hoje que o Tesouro vai acelerar as compras de dólares para conter a pressão sobre o câmbio. O governo, segundo ele, tem dois mecanismos para a atuação: o de acelerar as compras de dólares para pagamento de dívida externa e o de utilizar o Fundo Soberano do Brasil (FSB) na compra da moeda estrangeira.

O secretário lembrou que o Banco Central aumentou o prazo para o Tesouro antecipar as compras de dólares necessários ao pagamento dos compromissos de dívida externa. O prazo subiu de um para dois anos. Questionado se o Tesouro iria acelerar as compras, o secretário respondeu que sim. Augustin não descartou a possibilidade de o FSB ser utilizado nessa estratégia. Ele disse que o fato de o governo poder utilizar o dinheiro do Fundo para capitalização de empresas estatais não restringe seu potencial de atuação no câmbio.

O secretário lembrou que a possibilidade de compra de dólares pelo Fundo Soberano não se limita aos recursos depositados no Fundo, que hoje estão em cerca de R$ 17 bilhões. Isso porque a legislação permite a emissão de títulos do Tesouro para o FSB comprar dólares.

Augustin lembrou que o governo está preocupado e atento à valorização do real e que a utilização do FSB ou não para a compra de dólares é uma decisão a ser tomada pelos três ministros que integram o conselho consultivo do Fundo: Guido Mantega (Fazenda), Paulo Bernardo (Planejamento) e Henrique Meirelles (presidente do Banco Central).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.