Washington, 4 fev (EFE).- O Departamento do Tesouro americano anunciou hoje que leiloará um valor inédito de US$ 67 bilhões em bônus na próxima semana e ressuscitará seu bônus de sete anos para enfrentar um déficit que se calcula em 1,6 trilhões este ano.

Tal como já o esperavam os mercados, o Tesouro porá em oferta até US$ 32 bilhões em títulos com vencimento em três anos; US$ 21 bilhões em títulos de 10 anos, e US$ 14 bilhões em bônus de 30 anos.

A operação aponta a refinanciar US$ 36,3 bilhões em títulos que estão ao vencimento e para colher aproximadamente US$ 30,7 bilhões.

O Governo encara dificuldades crescentes para seu financiamento enquanto a economia se encontra em seu 14º mês de recessão, o Congresso demora a votar um plano de estímulo, e o Tesouro procura sustentar os bancos e ajudar os compradores de casas a evitar o despejo de inquilinos.

Por isso, após 16 anos de ausência, o Tesouro levou o bônus de sete anos novamente vez hoje ao mercado, hoje.

Além disso, anunciou que leiloará um novo bônus, de 30 anos, em cada trimestre.

Haverá reaberturas regulares do bônus no mês seguinte à oferta inicial, com oito leilões ao ano, contra as quatro realizadas no ano passado.

O Tesouro espera tomar emprestado no primeiro trimestre deste ano cerca de US$ 493 bilhões, valor ainda inferior ao número sem precedentes de US$ 569 bilhões de empréstimos no quarto trimestre de 2008.

Os operadores preveem que o déficit no orçamento federal deste ano chegue a US$ 1,6 trilhões.

No entanto, nenhum cálculo incluiu totalmente agora as necessidades de financiamento do plano de estímulo anunciado pelo presidente Barack Obama, os pagamentos do socorro financeiro de US$ 700 bilhões promulgado em outubro, ainda no Governo de George W.

Bush, e a possível criação de um fundo que reverta a queda nos ativos bancários. EFE jab/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.