SÃO PAULO - O secretário-adjunto para Estabilidade Financeira do Departamento do Tesouro dos EUA, Neel Kashkari, disse hoje que sua equipe está correndo contra o relógio para pôr em prática o plano de US$ 700 bilhões para salvar o sistema financeiro dos EUA. Ele afirmou que o órgão está trabalhando o mais rápido possível para implementar o programa e revelou algumas das medidas já tomadas.

" Normalmente levaríamos meses - ou até anos - para estabelecer um programa tão grande e complexo como este. Mas nós não temos meses ou anos " , afirmou Kashkari em um evento hoje, para uma platéia de banqueiros.

Segundo ele, está em processo a contratação de gestores de recursos especializados em títulos ligados a hipotecas e também em carteiras de crédito imobiliário de atacado. O governo dos EUA está conduzindo uma espécie de licitação para contratar empresas que farão a gestão dos US$ 700 bilhões e, segundo Kashkari, mais de 100 empresas se candidataram para cada uma das duas tarefas.

Entre as contrações adicionais já realizadas, a Ennis Knupp foi escolhida para o trabalho de consultoria para a gestão dos recursos e o escritório Simpson Thatcher vai cuidar da parte de assessoria jurídica. O Tesouro busca ainda duas empresas de auditoria e um especialista em custódia de títulos.

Dentro da equipe do tesouro dos EUA também já foram definidas as pessoas que irão trabalhar no programa de salvamento dos bancos. Para organizar o trabalho interno, o plano foi dividido em sete subitens. Eles são:
1) Compra de títulos ligados a hipotecas
2) Compra de carteiras de crédito imobiliário
3) Programa de seguro de títulos de hipotecas
4) Compra de ações de instituições
5) Proteção aos mutuários dos empréstimos
6) Compensação de executivos
7) Compliance e supervisão do plano.

Kashkari não deu detalhes adicionais de como será implementada a compra de ações dos bancos, ou dos títulos podres dos seus balanços. Ele prometeu, no entanto, divulgar mais informações sobre o andamento do programa nos próximos dias.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.