Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Terremoto na China faz pelo menos 400 mortos

SÃO PAULO - Cerca de 400 pessoas morreram e 10 mil acabaram feridas após um terremoto de 7,1 graus na escala Richter que atingiu o noroeste da província chinesa de Qinghai, conforme informaram as autoridades locais. A agência chinesa de notícias Xinhua reportou que o forte terremoto foi seguido por uma série de outros tremores, um deles de magnitude 6,3 graus. Os abalos derrubaram casas, templos, postos de gasolina e postes de eletricidade foram derrubados, além de provocarem deslizamentos de terra e terem danificado estradas.

Valor Online |

SÃO PAULO - Cerca de 400 pessoas morreram e 10 mil acabaram feridas após um terremoto de 7,1 graus na escala Richter que atingiu o noroeste da província chinesa de Qinghai, conforme informaram as autoridades locais. A agência chinesa de notícias Xinhua reportou que o forte terremoto foi seguido por uma série de outros tremores, um deles de magnitude 6,3 graus. Os abalos derrubaram casas, templos, postos de gasolina e postes de eletricidade foram derrubados, além de provocarem deslizamentos de terra e terem danificado estradas. Com isso, houve corte no fornecimento de energia elétrica e interrupção dos serviços de telecomunicações. O vice-premiê Hui Liangyu foi às pressas para a região atingida. Muitas pessoas ainda estão soterradas sob os escombros das casas que foram destruídas na cidade de Gyegu, perto do epicentro do terremoto na prefeitura autônoma tibetana de Yushu, no sul de Qinghai. Mais de 85% das casas em Gyegu foram destruídas pelo terremoto, disse Zhuohuaxia, representante da prefeitura de Yushu, à agência Xinhua."As ruas em Gyegu foram tomadas pelo pânico e por pessoas feridas", relatou. De acordo com o Escritório de Emergência Provincial de Qinghai, aproximadamente 700 soldados estão tentando retirar os escombros e resgatar as pessoas soterradas. Outros 5 mil soldados e médicos já foram enviados à região atingida pelo terremoto, segundo informação divulgada em uma coletiva de imprensa promovida pelo governo provinciano de Qinghai. A Administração de Terremotos da China, a Cruz Vermelha local e autoridades de regiões vizinhas também enviaram equipes de resgate a Yushu. Pessoas de várias regiões do país estão enviando roupas, barracas e cobertores. Pequim contribuiu com equipes de resgate e doou 10 milhões de yuan a Yushu. "Nossa prioridade é salvar estudantes. As escolas são sempre lugares onde ficam mais pessoas", disse o oficial do exército, Kang Zifu. O Observatório Provincial de Qinghai prevê fortes ventos e chuvas nos próximos dias, o que pode afetar as buscas. Outro problema são os tremores de magnitude menor que estão ocorrendo após o terremoto. "Tremores com magnitude superior a 6 devem continuar a acontecer nos próximos dias", avisou Liu Jie, do Centro de Comunicações de Terremoto da China. O terremoto também matou cinco pessoas e feriu uma no município de Shiqu, vizinho a Yushu, na prefeitura autônoma tibetana de Garze, na Província Sichuan. (Karin Sato | Valor, com agências internacionais)
Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG