RIO - Terminou sem acordo a reunião entre integrantes do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense e representantes da Petrobras sobre a paralisação que acontece desde segunda-feira por parte dos funcionários da companhia na Bacia de Campos.

Depois de quatro horas de reunião, os sindicalistas consideraram insuficiente a proposta feita pela empresa que, segundo eles, não contemplou a reivindicação de que os dias de desembarque nas plataformas sejam considerados como dias de trabalho.

De acordo com o diretor de comunicação do sindicato, Marcos Breda, a diretoria da entidade de classe vai se reunir amanhã para firmar uma posição a ser levada para assembléia da categoria, que deve ocorrer no fim da tarde de sexta-feira.

Em outro protesto dos trabalhadores, representantes dos 12 sindicatos filiados à Federação Única dos Petroleiros (FUP) decidiram iniciar, a partir da meia-noite de hoje, uma paralisação nacional de 48 horas em todas as operações da Petrobras situadas sob a área de atuação da FUP. A greve de advertência não afetará a produção em nenhuma unidade e o objetivo dos sindicalistas é interromper serviços como manutenção preventiva e evitar rendição de troca de turnos.

(Rafael Rosas | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.