Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Termina hoje prazo para requerer correção monetária do Plano Collor 1

Brasília - O valor estimado que ainda está nos bancos, referente às perdas relacionadas ao Plano Collor 1, é de R$ 15 bilhões. Quem tinha dinheiro guardado na poupança há 20 anos, em 15 de março de 1990, tem somente até hoje (15) para entrar com ação na Justiça e receber a correção monetária dos valores confiscados.

Agência Brasil |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237561733866&_c_=MiGComponente_C

O presidente do Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo (Ibedec), José Geraldo Tardin, explica que, para recorrer, o consumidor precisa dos extratos bancários e da declaração do Imposto de Renda da época.

Sem os extratos, não há como fazer nada. Mas ainda dá tempo e os poupadores têm direito à correção de aproximadamente 44,8% do saldo das contas. Se alguém tinha 50 mil cruzados na poupança na época,  hoje tem direito de  receber cerca de R$ 6 mil, dinheiro que pode ficar parado se o consumidor não for atrás, alerta Tardin.

O consultor explica que as ações contra os bancos federais ¿ Banco do Brasil e Caixa Econômica ¿ podem ser apresentadas nos juizados especiais federais. No caso de instituições privadas, podem ser feitas nos juizados especiais cíveis estaduais.

Nos juizados federais, não é necessário advogado e o teto são as ações de até 60 salários mínimos. No Juizado Especial Cível, também não há a necessidade de advogado para causas de até 20 salários mínimos. O processo dura em média dois anos.

Leia mais sobre Plano Collor

Leia tudo sobre: correçãoeconomiaplano collor

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG