Termina hoje, ao meio-dia, o prazo dado pelo presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Rider Nogueira de Brito, para que a diretoria da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) e a Federação Nacional dos Trabalhadores da ECT (Fentect) respondam se aceitam ou não a nova proposta de acordo, apresentada na última terça-feira (dia 15), para acabar com a greve dos Correios. Se permanecer o impasse, Brito marcará a data do julgamento do processo, quando o relator escolhido, o ministro do TST, Maurício Godinho Delgado, submeterá seu voto aos demais ministros.

Enquanto a greve não termina - a paralisação completou 16 dias ontem -, quem não recebeu boletos de contas precisa pedir a segunda via do boleto bancário às empresas credoras. Há três formas de fazer a solicitação: pela internet, pelo telefone ou em postos indicados pelas companhias. Mas o caminho mais rápido é mesmo a internet.

Quem não tem acesso à internet ou prefere resolver a questão pelo telefone deve se preparar para escutar muitas musiquinhas no atendimento eletrônico. A cada ligação o cliente perde, em média, 10 minutos. Primeiro, porque vai ser obrigado a escutar uma série de opções do menu de atendimento até chegar ao destino de seu telefonema. E, depois, terá de esperar até que um atendente responda. As operadoras de celular foram as que tiveram menor tempo de espera: em média, 4 minutos. Para ser atendido por um funcionário da Eletropaulo, o consumidor pode ter de aguardar até 16 minutos. Há situações em que a segunda via não é necessária. Para pagar o cartão de crédito, por exemplo, basta apresentar o cartão a um caixa da agência bancária. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.