Tamanho do texto

PARIS - As ações européias caíram nesta quinta-feira, revertendo a recuperação das duas últimas sessões, à medida que os dados desanimadores nos Estados Unidos reacenderam os temores de recessão e ofuscaram os comentários pacificadores do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet.

De acordo com dados preliminares, o índice FTSEurofirst 300 caíram 1,41 por cento, para 1.057 pontos, após máxima de 1.090 pontos durante o dia.

As ações de mineradoras e de indústrias foram golpeadas com os papéis da ArcelorMittal afundando 8,9 por cento, da Rio Tinto mergulhando 8 por cento e os da Siemens perdendo 4,5 por cento.

Os bancos, entretanto, tiveram um aumento de seus ganhos, liderados pelas ações do UBS que subiram 8,1 por cento após o banco ter divulgado que vai registrar um pequeno lucro no terceiro trimestre e reduzir seus ativos comerciais e residenciais relacionados a hipotecas.

Dados mostraram que as encomendas à indústria norte-americana registraram uma inesperada e forte queda de 4 por cento em agosto, a contração mais acentuada desde outubro de 2006, sinalizando que a crise de crédito estava se espalhando para o setor de manufaturas.

"Os EUA estão se inclinando para a recessão. Nós vamos ter mais más notícias no âmbito macroeconômico, começando pelos dados de emprego amanhã", disse Marc Touati, economista da Global Equities.

"Mas nós estamos chegando ao fim do túnel em relação a crédito, e se o plano de resgate for aprovado, ele certamente vai ajudar a economia", disse.

O presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, disse que a atividade econômica está se enfraquecendo na Europa e abrindo as portas para uma redução da taxa de juro. A autoridade monetária manteve a taxa básica de juro em 4,25 por cento, mas Trichet disse que os membros do BCE consideraram uma redução, à medida que a economia da zona do euro desacelera e os riscos inflacionários aliviam.

Os investidores também estão cautelosos sobre o destino do plano de resgate de Washington para o setor financeiro, aprovado pelo Senado, por 74 votos a 25, na noite de quarta-feira. A Câmara dos Deputados, que provocou o derretimento dos mercados com a rejeição da proposta inicial do pacote, deve votar a lei na sexta-feira.

O índice FTSEurofirst 300 já perdeu 30 por cento em 2008, atingido pela crise de crédito.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em queda de 1,8 por cento, a 4.870 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX recuou 2,51 por cento, para 5.660 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 teve baixa de 2,25 por cento, para 3.963 pontos.

Em MILÃO, o índice Mibtel encerrou em baixa de 1,44 por cento, a 19.240 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou recuo de 1,61 por cento, para 11.002 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 teve desvalorização de 2,09 por cento, para 7.832 pontos.